Resenha CD: Machine F**king Head (Live)

Duplos ao vivo ao longo da história foram gravados por grandes bandas, agora o Machine Head tem o seu pra contar história.

A banda americana comandada de pelo vocalista por Robb Flynn, começou de forma arrasadora em 1994 com "Burn My Eyes", nos mostrando um thrash metal agressivo e inspirado pelas melhores influências possíveis, acabou tomando a decisão mais errada de suas vidas ao se render as experimentações e ao "modernismo" nos seguintes "The Burning Red" e "Supercharger". Felizmente o Machine Head levantou-se em "Through The Ashes Of Empires", mesclando suas experimentações a um álbum mais consistente puxando mais para o thrash do início da carreira, e hoje vive sua melhor fase iniciando no fantástico "The Blackening" de 2007, coroando no último "Unto The Locust" que superou seu antecessor - tarefa que parecia impossível. Então esse duplo ao vivo "Machine F**king Head" veio para coroar tudo isso, e da forma mais justa possível.

Gravado em cidades diferentes ao longo da turnê do "Unto The Locust" em 2011, "Machine F**king Head" supera o seu antecessor "Hellalive" com sobras. Recheado de clássicos como um bom álbum ao vivo, os destaques vem aos montes com: "I'am Hell (Sonata In C#)", "Aesthetics Of Hate", "Davidian", "Old", "Beautiful Morning", "Locust", "Be Still and Know" (...ufa). Claro que ao vivo, todo aquele refinamento e violência característica da banda perde-se um pouco, porém a mixagem do álbum faz jus a banda, além de tudo isso ser compensado pela atuação "com sangue nos olhos" do guitarrista Phil Demmel, dos vocais cada vez mais consistentes de Robb Flynn, da bateria animalesca de Dave McClain, e do baixo preciso do fiel escudeiro de Flynn, Adam Duce.

"O Machine Head é uma das melhores bandas de heavy metal do mundo na atualidade".

Claro, afirmar isso dado os gostos de cada um IREI e VOU estar cometendo injustiças. Mas é fato mais que comprovado que o Machine Head conseguiu unir nos últimos anos: consistência, peso, energia; tudo aliado aos ótimos refrões, e a uma capacidade de renovar e solidificar novamente o thrash metal como estilo. Até diria que o Machine Head ao lado do Lamb Of God, são as bandas que levantam a bandeira do metal mais alto nos EUA (por favor me corrijam se estiver errado), sendo o Pantera a maior influência.

Tracklist

CD 1

I Am Hell (Sonata in C#)
Be Still and Know
Imperium
Beautiful Mourning
The Blood, The Sweat, The Tears
Locust
This is the End
Aesthetics of Hate
Old

CD 2

Darkness Within
Bulldozer
Ten Tom Hammer
Who We Are
Halo
Davidian




Entre tantas coisas que eu penso, na verdade, não tem nada melhor na vida do que meus heróis, um bom rock n' roll, cerveja, fritas, e um bom papo com uma boa companhia.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários