Filosofia e Matrix - Parte 1: Conhece-te a ti mesmo

No último dia 15 de maio comemorou-se os 10 anos que o icônico "Matrix Reloaded" foi lançado nas telas grandes. Segundo filme da trilogia "Matrix" dos Irmãos Wachowski, a história cyber-punk revolucionou o cinema, e para muitos introduziu o termo A.M. e D.M., antes de Matrix e depois de Matrix respectivamente, graças a suas revoluções nos efeitos especiais, e como (porque não?) em história que mescla ficção científica com questionamentos filosóficos muito bem-vindos.

Para comemorar tal feito, resolvi tirar do meu armário um artigo que meu amigo me deu ainda quando ele cursava a faculdade, e até hoje é bem útil para podermos traçar os paralelos entre a franquia e a filosofia. Como ele é um pouco longo, dividido em quatro folhas, resolvi postá-lo em partes para melhor compreensão, e porque não, para evitar a fadiga. =)


Conhece-te a ti mesmo

Quem viu o filme "Matrix" - antes que se tornasse o primeiro de uma série - há de se lembrar da cena em que o heróí Neo é levado pelo guia Morfeu para ouvir o oráculo.

Que é um oráculo? A palavra oráculo possui dois significados principais, que aparecem nas expressões: "consultar um oráculo" e "receber um oráculo". No primeiro caso significa "uma mensagem misteriosa" enviada por um deus como resposta a uma indagação feita por algum humano; é uma revelação que deve ser interpretada. No segundo, significa: "uma pessoa especial", que recebe a mensagem divina e a transmite para quem enviou a pergunta a divindade, deixando que o interrogante decifre e a interprete a resposta recebida. Entre os gregos antigos, essa pessoa especial costumava ser uma mulher e era chamada sibila.

Em "Matrix", aparece a sibila, uma mulher que recebeu o oráculo (isto é, a mensagem) o que é também o oráculo (ou seja, a transmissora da mensagem). Essa mulher pergunta a Neo se ele leu o que está escrito sobre a porta de entrada da casa em que acabou de entrar. ele diz que não, ela então lê para ele as palavras, explicando-lhe que são de uma língua há muito desaparecida, o latim. O que está escrito? Nosce te ipsum. O que significa? "Conhece-te a ti mesmo." O oráculo diz a Neo que ele - e somente ele - poderá saber se é ou não aquele que vai livrar o mundo do poder da Matrix, ou seja, "o Escolhido", e portanto somente conhecendo a si mesmo ele terá a resposta.

Poucas pessoas que viram esse filme compreenderam exatamente o significado dessa cena, pois ela é a representação, no futuro, de um acontecimento do passado há 23 séculos na Grécia.

Havia, na Grécia antiga, na cidade de Delfos, um santuário dedicado ao deus Apolo, deus da luz, da razão e do conhecimento verdadeiro, o patrono da sabedoria. Sobre o portal de entrada desse santuário estava escrita a grande mensagem do deus ou o principal oráculo de Apolo: "Conhece-te a ti mesmo". Um ateniense, chamado Sócrates, foi ao santuário consultar o oráculo, pois em Atenas, onde morava, muitos diziam que ele era um sábio e ele desejava saber o que significava ser sábio e se ele poderia ser denominado assim. O oráculo, que era uma mulher, perguntou-lhe: "O que você sabe?". Ele respondeu: "Só sei que nada sei". Ao que o oráculo disse: "Sócrates é o mais sábio de todos os homens, pois é o único que sabe que não sabe". Sócrates como todos sabem, é o patrono da filosofia.


Neo e a Matrix

Se voltarmos ao filme "Matrix", podemos perguntar por que foi feito o paralelo entre Neo e Sócrates. Comecemos pelo nome das duas personagens masculinas principais: Neo e Morfeu. esses nomes são  gregos.

Neo significa "novo" ou "renovado" e, quando dito de alguém, significa "jovem na força e no ardor da juventude". Morfeu pertence a mitologia grega, era o nome de um espírito, filho do Sono e da Noite, que possuía asas e era capaz, de num único instante, de voar em em em absoluto silêncio para as extremidades do mundo. Esvoaçando sobre um ser humano ou pousando levemente sobre sua cabeça, tocando-o com uma papoula vermelha, tinha o poder não só de fazê-lo adormecer e sonhar, mas também de aparecer_lhe no sonho, tomando forma humana.

É dessa maneira que no filme, Morfeu se comunica pela primeira vez com Neo, que desperta assustado com o ruído de uma mensagem na tela de seu computador. E, no primeiro encontro de ambos, Morfeu surpreende Neo por sua extrema velocidade, por ser capaz de voar e por parecer saber tudo a respeito desse jovem que não o conhece. várias vezes, Morfeu pergunta a Neo se ele tem sempre a impressão de estar dormindo e sonhando, como se nunca tivesse a certeza de estar realmente desperto. Essa pergunta deixa de ser feita a partir do momento em que, entre uma pílula azul e uma vermelha oferecidas por Morfeu, Neo escolhe ingerir a vermelha (como a papoula da mitologia), que o fará ver a realidade. É Morfeu quem lhe mostra a Matrix, fazendo-o compreender ou se dormia e sonhava porque, realmente, esteve sempre dormindo e sonhando.


O que é a Matrix? 

Essa palavra é latina. Deriva de mater, que quer dizer: "mãe". Em latim, matrix é o órgão das fêmeas dos mamíferos onde o embrião e o feto se desenvolvem; é o útero. Na linguagem técnca, a matriz é o molde para fundição de uma peça; o circuito de codificadores e de decodificadores das cores primárias (para produzir imagens na televisão) e dos sons (os discos, fitas e filmes); e, na informática, é a rede de guias de entradas e saídas de elementos lógicos dispostos em determinadas intersecções.

No filme, a Matrix tem todos esse sentidos; ela é, ao mesmo tempo, um útero universal onde estão todos os seres humanos cuja vida real é "uterina" e cuja vida imaginária é forjada pelos circuitos de codificadores de decodificadores de cores e sons e pelas redes de guias de entrada e saída de sinais lógicos.

Qual é o poder da Matrix? 

Usar e controlar a inteligência humana para dominar o mundo, criando uma realidade virtual ou uma falsa realidade na qual todos acreditam. A Matrix é o feitiço virado contra o feiticeiro; criada pela inteligência humana, a Matrix é inteligência artificial que destrói a inteligência que a criou porque se subsiste sugando o sistema nervoso central dos humanos.

Antes que a palavra "computador" fosse usada correntemente, quando só havia as enormes máquinas militares e de grandes empresas, falava-se em "cérebro eletrônico". por que? Porque se tratava de um objeto técnico muito diferente de todos até então conhecidos pela humanidade. De fato, os objetos técnicos tradicionais ampliavam a força física dos seres humanos (o microscópio e telescópio aumentam ao limite dos olhos; o navio, o automóvel e o avião aumentam o alcance dos pés humano; a alavanca, a polia, a chave de fenda, o martelo aumentam a força das mãos humanas; e assim por diante). Em contrapartida, o "cérebro eletrônico" ou computador gigantesco que escraviza os homens, usando a mente deles para controlar as próprias percepções, sentimentos e pensamentos, fazendo-os crer que o que é aparente é real.

Vencer o poder da Matrix é destruir a aparência, restaurar a realidade e assegurar que os seres humanos possam perceber e compreender o mundo verdadeiro e viver realmente nele. todos os combates realizados por Neo e seus companheiros são combates cerebrais e dos sistema nervoso, isto é, são combates mentais entre os centros de sensação e percepção e pensamento humanos e os centros artificiais da Matrix. Ou seja, as armas e tiroteios que aparecer na tela são pua ilusão, não existem, pois o combate não é físico, e sim emocional.

E aí pessoas, gostaram da primeira parte da análise de Matrix? Não perca a continuação daqui a alguns dias!

Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários