"Senna in the heart of Brazil" é o curta que você precisa ver

Quando alguém te diz ou algo te obriga a acordar cedo num domingo soa um verdadeiro absurdo, um crime. Mas no começo dos anos 90 eu era um daqueles moleques que acordava cedo num domingo, estivesse frio ou não, e colava na frente da televisão para assistir mais uma vitória de Ayrton Senna F1. Claro, estatisticamente ele não ganhou tanto assim, foram 3 títulos e 41 vitórias, mas tendo apenas 5 anos na época pouco importava estatística e nem sabia o que era essa coisa chamada vida, queria era acordar todas as manhãs para ver o meu herói destemido que pilotava um bólido a mais de 300km/h enfrentando a morte e desafiando o tempo.

Estava lá todas as manhãs, inclusive no fatídico dia 1º de maio de 1994 que vi ele passar direto na curva e se chocar violentamente contra o muro. Mais uma batida e mais uma corrida perdida pensei. Pena. Mas ele não saiu do carro e o Galvão na época alertava como a batida foi forte. Lembro que a corrida ficou em segundo plano naquela transmissão e direto do hospital noticiaram que Senna morreu. 

Saí correndo pelo corredor da casa e falei pra minha mãe o que tinha acontecido e ela disse: "não, não é possível". Sim, não era realmente, ninguém acreditava do Brasil até o Japão. Como aquele que julgava um herói imortal como aqueles que hoje idolatro nos filmes e nas HQs poderia morrer? Mas ele era humano, um humano inspirador e destemido, mas um humano. A vida que não entendia era apresentada a mim. Lembro que a noite chorei incontrolavelmente como se tivesse perdido um familiar, um amigo, e a comoção que causou sua morte nesse país foi tamanha que hoje ainda temos um buraco que talvez nunca mais irá se preencher nos domingos de manhã.

E sim, você pode questionar que muitos fazem isso, corridas em alta velocidade são um desafio a morte e blá blá blá. Mas esqueça esses carros tecnológicos de hoje que fazem tudo, o que diferenciava Senna dos milhares de outros pilotos era a sua personalidade ímpar que acima de tudo somente queria vencer e que inspira até hoje, atletas ou não, através de seu perfeccionismo, patriotismo e força de vontade gigantesca uma vida digna de construir histórias que são contadas até hoje, como a dessa animação abaixo.

Já passou da hora de Senna ter um filme contando sua vida, isso sim é uma pena. Mas esse curta animado com a narração do próprio Senna contando a vitória épica dele no GP do Brasil de 1991, quando nas últimas voltas ele venceu na chuva com apenas a sexta marcha faz jus a uma pequena parte da sua história. 


Estudante de publicidade, formado em nerdices em geral, pós graduado em Netflix, e phD em piadas idiotas. Gasto dinheiro em comida e com livros que não tenho tempo pra ler.

Voltando
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 Comentários